Latim e Direito Constitucional

A contrarreforma nunca teria sido tão bem sucedida como foi, sem a disposição incansável dos jesuítas. Foram eles que realizaram, no Concílio de Trento, a maior parte do difícil trabalho político, que permitiu aos papas dominar esse conclave em suas últimas e mais árduas sessões.          

Foram eles também os principais responsáveis pela volta ao aprisco católico das áreas que se haviam tornado protestantes, como a Polônia e partes do sul da Alemanha.

Ignacio de Loyola (1491-1556) foi o fundador da Companhia de Jesus (La Compañía de Jesús - Societas IesuS.J.). Nobre espanhol da região basca a princípio teve uma vida de aventuras amorosas e pilhagens como soldado do rei.

Quando a revolução protestante ia ganhando vulto na Alemanha, ele foi ferido gravemente numa batalha com os franceses. Enquanto convalescia, leu uma biografia de Jesus e algumas lendas de santos. Essas leituras operaram profunda transformação em sua natureza emotiva.

Oprimido pelo remorso da existência vã que havia levado, resolveu tornar-se soldado de Cristo. Após um período de mórbidas flagelações, durante as quais tinha visões de satanás, de Jesus e da Trindade, foi para a Universidade de Paris, a fim de conhecer melhor a fé a que pretendia servir.

Ali reuniu em torno de si um pequeno grupo de discípulos dedicados, com ajuda dos quais fundou, em 1534, a sua congregação religiosa. Os membros tomaram votos monásticos e comprometeram-se a fazer uma peregrinação a Jerusalém. Em 1540 a associação foi aprovada pelo papa Paulo III através da bula Regimini militantis Ecclesiae, que integra a fórmula do instituto, onde está contida a legislação substancial da Ordem e, a partir de então, cresceu rapidamente. Quando Loyola morreu, ela já contava com 1.500 membros.

A Companhia de Jesus foi a mais militante das ordens religiosas inspiradas pelo zelo espiritual do século 16. Não era uma simples sociedade monacal, mas um regimento de soldados que haviam jurado defender a fé.

Suas armas eram a eloquência, a persuasão, a instrução nas verdadeiras doutrinas e, se necessário, métodos mais mundanos para exercer influência,

A organização imitava a de uma companhia militar, com um geral (general) como comandante supremo e uma disciplina férrea imposta aos membros.

Toda a individualidade era supressa e exigia-se uma estrita obediência dos soldados ao geral.

Somente os membros das quatro classes mais elevadas tinham qualquer participação no governo da ordem. Esse pequeno grupo, conhecido como osProfessos dos Quatro Votos (Professos de los cuatro Votos), elegia vitaliciamente o geral e atuava como corpo consultivo nos assuntos importantes.

Como os demais, seus membros deviam ao geral obediência cega.

As ações dos jesuítas eram numerosas e variadas. Antes de mais nada, viam a si mesmos como defensores da verdadeira religião.

Com esse objetivo, obtiveram do papa autoridade para ouvir confissões e dar absolvição. Muitos deles tornaram-se padres, a fim de ter acesso ao púlpito e pregar a verdade como oráculos de Deus. Outros serviam como espiões da Inquisição na guerra sem tréguas contra a heresia. Não levantavam dúvidas nem tentavam resolver mistérios.

Loyola ensinava que, se a Igreja decretasse ser o branco preto, seus fiéis teriam a obrigação de acreditar.

Mas os jesuítas não se contentavam com defender a fé contra os ataques protestantes e heréticos. Ansiavam por propagá-la até os mais longínquos recantos do globo: transformar em católicos os budistas, os muçulmanos, os parses da Índia e até os povos indígenas dos continentes recém-descobertos.

Muito antes de terminar a reforma, havia missionários jesuítas na África, no Japão e na China, bem como na América do Norte e do Sul.

Outra ocupação importante dos soldados de Loyola foi a educação. Fundaram colégios e seminários às centenas na Europa e na América, insinuando-se também em instituições mais antigas.

Até o século 17 a Companhia de Jesus teve o monopólio da educação na Espanha e um quase monopólio na França.

O fato de haver a Igreja católica recuperado tanto de usa força, a despeito da secessão protestante, deveu-se em grande parte às atividades múltiplas e dinâmicas dos jesuítas. 

Rio de Janeiro, 1º de maio de 2010. 

____________
N. do A. – Foram utilizadas aqui algumas ideias de Giovanni Reale e Dario Antiseri (Il pensiero ccidentale dalle origini ad oggi. 8. ed. Brescia: La Scuola, 1986).

Direitos reservados: os textos podem ser reproduzidos, desde que citados o autor e a obra. ( Código Penal, art. 184 ; Lei 9610/98, art. 5º, VII e Norma Técnica NBR 6023, da ABNT ).