Latim e Direito Constitucional

Depois de 1500 a Renascença, que começara na Itália, se espalhou para outros países.

Um  fluxo de estudantes da Europa setentrional havia-se dirigido para a Itália, para estudar nas universidades de Bolonha (L'Alma Mater Studiorum - Università di Bologna  - UNIBO) e Pàdua (L'Università degli Studi di Padova). Igualmente, de vez em quando, alguns italianos viajavam também, transpondo os Alpes.

Intercâmbio muito útil sm, mas só depois de 1500 é que a Europa setentrional se tornou bastante próspera e politicamene estável, para oferecer um ambiente próprio ao cultivo generalizado da arte.

Outra coisa. Importantes pensadores e artistas italianos, como Leonardo da Vinci (Leonardo di ser Piero da Vinci  -- 1452-1519), começaram a fazer parte dos séquitos de reis ou aristocratas do norte.

Foi assim que a Renascença se tornou um movimento internacionaol e continuou vigorando no norte, mesmo depois de haver começado a declinar em seu solo nativo.

No norte ela teve um caráter menos secular. A Itália sempre tivera uma sociedade urbana mais vigorosa e independente que o norte. Mesmo durante a Idade Média, as cidades italianas haviam mantido um sistema de ensino mais leigo, para educar os jovens para o comércio, o direito e os negócios públicos municipais.

Pelo fato de ver ruínas romanas à sua volta, os italianos se familiarizaram com a tradição clássica. Isso lhes permitiu adquirir um vocabulário mais profano e estimulou um interesse maior pela representação de temas não cristãos na arte.

Por outro lado, o norte sempre voltara a atenção para os estudos teológicos e os impregnara mais profundamente de misticismo religioso. Foi assim que a cultura renascentista setentrional deu à religião maior realce que sua progenitora, a Renascença italiana.

A Alemanha foi um dos primeiros países a receber a influência do movimento humanístico italiano, dada a imigração contínua de estudantes alemães para as  universidades italianas.

Infelizmente a Alemanha tão cedo foi lançada no torvelinho da luta religiosa. A revolução protestante excitou paixões externas de ódio e intolerância, inimigas inevitáveis do ideal humanístico. Valorizou-se a fé, ao passo que tudo o que se assemelhasse ao culto do homem ou à reverência pela antiguidade pagã era considerado obra do demônio.

Em cidades prósperas do sul como Augsburgo (Augsburg), Nuremberg (Nürnberg), Munique (München) e Viena (Wien), houve desde 1450 um robusto movimento humanístico importado da Itália.

Seus representantes mais notáveis foram (Ulrich von Hutten -- 1488-1523) eJohannes Jäger ou Crotus Rubianus -- 1480-1539). Ambos se interessavm menos pelos aspectos literários do humanismo do que por suas possibilidades como expressão de protesto religioso e político.

Von Hutten usou seus dotes de escritor para satirizar o mundanismo e a cobiça do clero e para produzir diatribes em defesa do povo alemão contra seus inimigos.. Um rebelde encolerizado contra quase todas as instituições da ordem estabelecida.

A principal credencial de Von Hutten Rubianus para a celebridade é a autoria das Cartas de homens obscuros (Die Dunkelmännerbriefe -Epistolae obscurorum virorum), de 1515, uma das sátiras mais espirituosas que se pode encontrar em histórias da literatura.

Obra escrita como parte de uma campanha de propaganda em favor do humanista Johannes Reuchlin - 1455-1522), que desejava levar adiante seu estudo das obras hebraicas, sobretudo do Talmude.

Quando os teólogos da Universidade de Colônia (Die Universität zu Kölne o Inquisidor-Geral (Großinquisitor ou Generalinquisitor) alemão quiseram que fossem destruídos todos os escritos hebraicos existentes na Alemanha,Reuchlin e seu grupo opuseram-se intensamente a isso.

Logo que ficou claro que os argumentos racionais não estavem conseguindo nada, resolveram fazer uso do ridículo.

Rubianus Hutten publicaram, como imbecis letrados, cartas escritas num latim ruim com nomes ridículos como Ordenhador de cabras(Ziegenmelker), Papa-mel (Honiglecker) e Carregador de esterco(Mistlader), que manifestavam um absurdo literalismo religioso ou uma grotesca erudição.

Helinrich Chafmaul, pretenso autor de uma das cartas, confessava-se apavorado com a possibilidade de haver cometido pecado mortal ao comer, na sexta-feira, um ovo que continha um pinto. 

Ainda que proibidas pela Igreja, essas cartas circularam e tiveram uma legião de leitores. É possível que tenham ajudado a preparar o caminho para a reforma protestante na Alemanha.

Rio de Janeiro, 20 de dezembro de 2009.

____________
N. do A. – Foram utilizadas aqui algumas ideias de Giovanni Reale e Dario Antiseri (Il pensiero occidentale dalle origini ad oggi. 8. ed. Brescia: La Scuola, 1986

 

Direitos reservados: os textos podem ser reproduzidos, desde que citados o autor e a obra. ( Código Penal, art. 184 ; Lei 9610/98, art. 5º, VII e Norma Técnica NBR 6023, da ABNT ).