Latim e Direito Constitucional

Leonardo da Vinci (Leonardo di ser Piero da Vinci -- 1452-1519) foi com certeza o maior artista florentino. Talentoso e versátil foi a personificação do “homem na Renascença” como pintor, músico, arquiteto, escritor, engenheiro e inventor. 

Ainda em tenra idade, foi colocado no estúdio de Verrocchio (Andrea di Michele Cioni), homem de grande reputação. Aos 27 anos montou seu próprio ateliê e ganhou a proteção de Lourenço, o magnífico (Lorenzo di Piero de Mediciconhecido como Lorenzo il Magnifico - 1449-1492), o governante de Florença, da família Médici.

Acusado de lentidão, em 1482 foi para a corte dos Sforzas em Milão, onde ganhou mais liberdade para estruturar seu tempo e seu trabalho. Depois da invasão dos franceses, aceitou a proteção do rei da França, Francisco I (François Ier de France– 1494 – 1547).

Suas pinturas deram início à alta Renascença na Itália. Ao imitar a natureza, buscava seu trabalho em observações de uma haste de capim, da asa de um pássaro e de uma cachoeira.

Suas obras-primas são a Virgem dos Rochedos (La Vergine delle rocce -Madonna col Bambino, San Giovannino e un angelo), a Última Ceia (L'Ultima cena conhecida também como il Cenacolo e a Mona Lisa (La Gioconda ou Monna Lisa). A primeira ilustra sua paixão pela ciência. A segunda mostra um Cristo resignado a seu terrível destino. A terceira reflete um interesse pelas várias nuanças da alma humana. 

A ascensão da escola veneziana marcou o começo da alta Renascença com Giorgione (Giorgione - pseudônimo de Giorgio o Zorzi da Castelfranco), Ticiano (Tiziano Vecellio -- 1480-1576) e Tintoretto (Jacopo Comin, chamado de Tintoretto --   1518-1590), que refletiram a vida faustosa e os interesses hedonísticos de Veneza. Seus retratos eram imagens de ricos e poderosos.

Outros grandes pintores trabalharam no século 16. Roma tornou-se o único centro artístico importante da península italiana.

O popular Rafael ((Raffaello Sanzio  -- 1483-1520), de Urbino, desenvolveu uma concepção de uma humanidade espiritualizada e enobrecida, ao representar os homens como seres equilibrados, sensatos e dignos.

Sua La Disputa del Sacramento simboliza a relação dialética entre a Igreja celestial e a Igreja terrena. Sua Escola de Atenas (La scuola di Atene) representa o conflito entre a filosofia platônica (mundo das ideias) e a aristotélica (corporificações materiais).

Michelangelo Buonarroti(1475-1564), ao contrário, era um idealista e atentava mais às verdades metafísicas. 

Pintor, escultor, arquiteto e poeta, expressava-se com a mesma força e de maneira semelhante em todas essas atividades.

Artista supremo da Renascença, sua mais grandiosa realização na pintura é  o teto da Capela Sistina (La Cappella Sistina di Roma), em que trabalhou de 1508 a 1512, a pedido do papa Júlio II (Giulio II).      

Nela narra a história da humanidade, como Deus dividindo a luz e as trevas(Separazione della luce dalle tenebre), Deus criando o mundo (Creazione degli astri e delle piante), A criação de Adão (Creazione di Adamo), A Criação de Eva (Creazione di Eva), A Embriaguez de Noé (Ebbrezza di Noèe O Juízo Final (Il Giudizio Universale), em cujo centro aparece uma figura de Cristo, que lembra um Hércules pelas dimensões e pelo vigor.

Ao libertar a escultura de sua subordinação à arquitetura e a transformar numa arte independente, foram criadas estátuas não mais como parte de colunas ou portais de igrejas ou como efígies em túmulos. Pela primera vez as imagens foram esculpidas “em redondo”.

Rio de Janeiro, 02 de agosto 2009.

 

____________
N. do A. – Foram utilizadas aqui algumas ideias de Giovanni Reale e Dario Antiseri (Il pensiero occidentale dalle origini ad oggi. 8. ed. Brescia: La Scuola, 1986).

 

Direitos reservados: os textos podem ser reproduzidos, desde que citados o autor e a obra. ( Código Penal, art. 184 ; Lei 9610/98, art. 5º, VII e Norma Técnica NBR 6023, da ABNT ).