Latim e Direito Constitucional

Só no começo do século 15 é que a pintura ganhou vida nova no norte da Europa. São conhecidos os nomes dos flamengos Hubert van Eyck ouHuybrecht van Eyck (1366-1426) e Jan van Eyck (13690-1441), Rogier van der Weyden ou Rogier de Bruxelles, cujo verdadeiro nome é Rogier de la Pasture  (1400-1464) e Hans Memling (1430-1441).

Os irmãos van Eyck foram os maiores praticantes da pintura a óleo, com colorido brilhante e um nítido realismo. Tanto eles como van Weydendestacaram-se na comunicação de um serviço de profunda piedade religiosa e na reprodução de pormenores da experiência cotidiana. 

Bem no estilo dos manuais contemporâneos, como a Imitação de Cristo (De imitatione Christi), que procuravam ligar a devoção profunda com a existência no dia-a-dia. 

O avanço da tecnologia nessa época inicia com a invenção da artilharia e das armas de fogo. A pólvora, descoberta chinesa, principiou a ser usada no Ocidene no final da Idade Média com objetivos particularmente devastadores.

Em 1453 a artilharia pesada desempenhou papel fundamental. Os turcos otomanos usaram canhões para romper as defesas de Constantinopla e os franceses, para capturar a cidade de Bordéus (Bordeaux). Esse armamento contribuiu para a consolidação das monarquias nacionais.

As armas portáteis foram aperfeiçoadas. O mosquete pôs fim ao poderio militar de cavaleiros, que usavam lanças e grossas couraças, o que tornou mais fácil armar grande número de combatentes.

De utilização pacífica foram os óculos, inventados na década de 1280 e aprimorados no século 14. Petrarcc (Francesco Petrarca -- 1304-1374), o grande sábio desse século, que se gabava de possuir vista excelente na juventude, aos 60 anos passou a usá-los e pôde assim completar algumas de suas obras mais destacadas, como il Canzoniere.

Por volta de 1300 a bússola magnética ajudou os navios a se afastarem mais da terra e se aventurarem no Atlântico. Resultado imediato foi a abertura de um comércio marítimo direto entre a Itália e o norte da Europa. No século 16 foram alcançados os Açores e as ilhas de Cabo Verde.

Mais tarde, foi dobrado o cabo da Boa Esperança (Cape of Good Hope) em 1488 e o Brasil descoberto em 1500. De repente, como consequência da tecnologia, o mundo tornou-se muito menor.

Os relógios, inventados em 1300, logo proliferaram. Os usados em edifícios públicos não só informavam a hora como mostravam o curso do sol, da lua e dos planetas, além de realizarem espetáculos mecânicos, quando batiam as horas.

Eles se tornaram muito baratos após 1600 e entraram em praticamente todas as casas. Racionalizavam o curso da vida cotidiana. No século 14 eles começaram a marcar horas de igual duração, de dia e de noite. Passaram a regular o trabalho com precisão até então desconhecida. As pessoas deviam começar e findar o trabalho “na hora” (on time) e muitos passaram a acreditar que “tempo é dinheiro (time is money). O coelho branco (The White Rabbit) de Lewis Carroll, sempre a olhar o relógio de algibeira e a resmungar “como está ficando tarde” (Oh dear! Oh dear! I shall be too late!), é uma caricatura do homem ocidental obcecado pelo tempo.

Estímulo para a invenção da imprensa foi a substituição do pergaminho pelo papel como material de escrita básico na Europa de 1200 e 1400.

Muito caro, pois feito com peles de valiosos animais agrícolas. Era preciso matar de 200 a 300 carneiros ou bezerros para ter pergaminho suficiente para uma bíblia.

O papel, no final da Idade Média, custava um sexto do preço do pergaminho. Assim se tornou mais barato aprender a ler e escrever. Ao poupar grande quantidade de mão-de-obra, a invenção fez com que os livros impressos passassem a custar um quinto dos livros manuscritos.

A alfabetização aumentou e a cultura livresca tornou-se uma parte básica do seu estilo de vida.

Depois de 1500 os europeus puderam ler e comprar livros de todas as espécies. Depois do século 18, jornais. A imprensa permitiu as ideias propagaram-se de modo rápido e correto, bem como impossibilitou extinguir conceitos revolucionários depois de expostas em centenas de exemplares de livros. Essa, a sorte de Lutero (Martin Luther -- 1483-1546). Sem a imprensa, talvez houvesse morrido como Ian Hus.

Consequência foi o crescimento do nacionalismo cultural, pois cada país começou a desenvolver suas próprias normas linguísticas.

Os relógios e os livros, os armamentos e os navios oceânicos ajudaram a Europa a dominar o globo depois de 1500, ao fazer do mundo inteiro o seu mundo.

 Rio de Janeiro, 28 de junho de 2009.

____________
N. do A. – Foram utilizadas aqui algumas ideias de Giovanni Reale e Dario Antiseri (Il pensiero occidentale dalle origini ad oggi. 8. ed. Brescia: La Scuola, 1986). 

Direitos reservados: os textos podem ser reproduzidos, desde que citados o autor e a obra. ( Código Penal, art. 184 ; Lei 9610/98, art. 5º, VII e Norma Técnica NBR 6023, da ABNT ).